👨‍🏫Blogue OLIRAF no “Seminário Online de Turismo Militar 2020” ⚔️

📝O Blogue OLIRAF, através do nosso fundador, Rafael Oliveira, participou no “Seminário de Turismo Militar 2020”, na qualidade de orador do PAINEL II – TURISMO MILITAR E INOVAÇÃO: MARCAS E PRODUTOS, que teve lugar no passado dia 17 de setembro (5ª feira), às 15H, através da plataforma Zoom e em direto no Facebook | Youtube. Este evento que, este ano decorreu online, foi organizado pela Associação de Turismo Militar Português, em parceria com a Câmara Municipal de Tomar, a Entidade Regional de Turismo do Centro de Portugal e o Techn&Art – Centro de Tecnologia, Restauro e Valorização das Artes, do Instituto Politécnico de Tomar.

O projeto fotográfico OLIRAF concilia o gosto pelas estórias da História, da Fotografia e das Viagens. Rafael Oliveira é um “travel blogger” que presta uma atenção muito especial ao património histórico-militar.

Três dias, três temas e um assunto central: o Turismo Militar em Portugal. Nos dias 16, 17 e 18 de setembro, decorreu o “Seminário Online de Turismo Militar 2020”, um evento organizado pela Associação de Turismo Militar Português, em parceria com o Município de Tomar, a Entidade Regional Turismo Centro de Portugal e o Techn&Art – Centro de Tecnologia, Restauro e Valorização das Artes.O evento contou com a presença de diferentes oradores das áreas do Turismo e da Cultura, parceiros de diferentes instituições públicas e privadas e teve como assunto central o Turismo Militar em Portugal. Cada painel contou com diversos oradores convidados, que fizeram uma breve apresentação do seu percurso profissional e responderam a questões colocadas pela moderadora, com espaço para debate num ambiente informal. O objetivo deste “Seminário Online”, segundo a ATMPT e os seus associados, era falar sobre alguns dos temas relacionados com a preservação/salvaguarda/divulgação do património histórico-cultural, o desenvolvimento de produtos de Turismo Militar e a importância deste segmento do Turismo Cultural em Portugal no contexto pós-covid.

A partir do minuto 48, poderão ver a minha entrevista no âmbito do “Seminário Online de Turismo Militar 2020”
17 de setembro | 15h00
Painel II – Turismo Militar e Inovação: Marcas e Produtos Moderador: Manuela Silva, Professora Adjunta Convidada do IPT e Investigadora Integrada do Techn&Art/IPT
Participantes convidados:
Marco Noivo, Guia-Intérprete oficial / Docente no Instituto Superior de Novas Profissões e na Universidade Lusófona
Paulo Monteiro, Diretor executivo da Glorybox
Rafael Oliveira, Autor do Blogue Oliraf

Foi gratificante ter aceite o desafio da ATMPT. Tivemos oportunidade de partilhar as nossas experiências sobre a importância do Turismo Militar em Portugal, enquanto segmento do Turismo Histórico-Cultural, e a as inúmeras estórias da História que partilhamos na nossa plataforma preferida de partilha online: o blogue. Como Travel Bloggers salientamos a importância destes parceiros, sejam autodidatas ou profissionais, para a divulgação de um todo um conjunto de experiências culturais, aliadas às atividades ao ar livre (Trekking, Slide ou Canoagem), às narrativas (Storytelling), à gastronomia e aos vinhos (Enoturismo), que aguardam ser vivenciadas por todos nós. De facto, o Turismo Militar pode ser um Turismo associado a experiências. Experiências, estas, que nos permitam conhecer, saborear e sentir um determinado, com tempo e com calma, território e do que melhor existe no nosso país. Alertamos, também, para a importância da temática das Invasões Francesas como produto turístico. São exemplos a Rota História das Linhas de Torres (RHLT), a Recriação Histórica do Cerco de Almeida (1810) e a futura aposta na rota pedestre e equestre luso-espanhola (Projecto Interreg NAPOTECP – Rotas napoleónicas por Espanha e Portugal), financiado com fundos do POCTEP. O património do tempo das invasões francesas é, cada vez mais, um produto turístico de qualidade e sustentável, capaz de criar riqueza e emprego em regiões espanholas (Castela & Leão) e em Portugal (Região Centro) ameaçadas pelo despovoamento, envelhecimento e falta de oportunidades no território. No final da entrevista, salientamos a importância de produtos turísticos diferenciadores da região Centro de Portugal, vulgarmente, conhecida como Turismo Centro de Portugal, vitais para estruturação dos territórios de baixa densidade. A longo prazo, a nosso entender, vão ser vitais para a dinamização da economia local e no aumento da oferta turística existente no seu território passível de ser integrada no Turismo Militar em contexto nacional. O Turismo Histórico-Militar é um bom mote para partir à descoberta do nosso país.

NÃO PERCA AS MINHAS AVENTURAS E OLHARES FOTOGRÁFICOS NO INSTAGRAM e no SAPO VIAGENS! UM ENCONTRO COM A HISTÓRIA, AO SABOR DAS IMAGENS…

📝Nota Informativa:

Em nome do Blogue OLIRAF, um agradecimento à Associação de Turismo Militar Português (ATMPT), na pessoa da Secretária-geral da ATMPT, Dr.ª Lígia Mateus, pelo convite para falar sobre a nossa experiência como “Travelbloggers” na promoção da História de Portugal e na divulgação de experiências relacionadas com o Turismo Histórico-Militar, de acordo com os nossos critérios editoriais, junto de um público mais abrangente. Face à “nova normalidade”, o Blogue OLIRAF deseja que a próxima iniciativa decorra no formato presencial.

🔗Para mais informações:

Recentemente, a convite da Associação de Turismo Militar Portuguesa (ATMPT), tive oportunidade  de escrever um pequeno artigo de opinião para o blogue da AMTPT sobre a importância dos Travell Bloggers na divulgação e promoção do Turismo Histórico-Militar em Portugal. Deixo, aqui, o link para aceder ao texto de opinião.

Turismo Militar (Blogue OLIRAF)

Associação de Turismo Militar Português (ATMPT)

Seminário Online de Turismo Militar 2020

Nota importante [🔎]

As presentes informações não têm natureza vinculativa, funcionam apenas como indicações, dicas e conselhos, e são susceptíveis de alteração a qualquer momento. O Blogue OLIRAF não poderá ser responsabilizado pelos danos ou prejuízos em pessoas e/ou bens daí advenientes. As recomendações de produtos turísticos baseiam-se nas experiências [reais] de viagem e o conteúdo editorial é independente de terceiros. Se quiser partilhar ou divulgar as minhas fotografias, poderá fazê-lo desde que mencione os direitos morais e de autor das mesmas.

linhagraficaALL-oliraf-03

✒️ Texto: Rafael Oliveira  📸 Fotografia: Oliraf Fotografia 

Follow me: @oliraffotografia on Instagram | Oliraf Fotografia on Facebook

FOTOGRAFIA✈︎VIAGENS✈︎PORTUGAL©OLIRAF (2020)

 CONTACT: OLIRAF89@GMAIL.COM

🌍OLIRAF Blogger Trips 2019: 12 Experiências, 12 Imagens 📷

📷 Foi uma década de grandes e exigentes desafios que termina. 2019 foi o ano que finaliza uma década recheada de sucessos pessoais e profissionais. Viajamos de Norte a Sul de Portugal, incluindo a Ilha da Madeira. Do Turismo Histórico-Militar ao Enoturismo. Dos locais turísticos aos pitorescos. Recordemos, então, o ano 2019 que termina. Gostamos de viajar, não porque gostamos de mostrar, mas porque nos dá prazer. Sempre com a curiosidade pela História e com a vontade de inventariar o Mundo e de catalogar as experiências. Para mais tarde, arquivar na nossa memória. Fomos um dos nove finalistas dos prémios Discoveries Awards (2019), patrocinado pela Via Verde, em parceria com o Município de Óbidos. Saímos da nossa zona de conforto – a fotografia de viagem – e arriscamos na categoria de Escrita; a Sapo Viagens, seleccionou uma das nossas fotos da aldeia histórica de Piodão, da rede social Instagram, para um artigo online; Recentemente, a convite da Culture Trip, falamos sobre a tendência do Turismo Militar e das ruínas do extinto Regimento de Artilharia de Costa. Leia aqui.

👨🏼‍🏫Conferência sobre Turismo Militar (Lisboa, Portugal)

20191201233936_IMG_9940
Associação Portuguesa dos Amigos dos Castelos © Créditos fotográficos: Carina Palma

 A convite da Associação Portuguesa dos Amigos dos Castelos (APAC) realizei, no passado dia 2 de Dezembro de 2019, uma comunicação “O Turismo Militar como forma de preservação e salvaguarda do património histórico-militar: o caso do blogue OLIRAF” no âmbito do Ciclo de Conferências subordinado à temática: Novos Meios de Divulgação Patrimonial. Os Blogs, que decorreram no secretariado da APAC, respectivamente, entre 7 e 21 de Outubro, 4 e 18 de Novembro e 2 de Dezembro de 2019. Agradecemos a oportunidade por falar sobre o nosso projecto de escrita e fotografia de viagens e dar a conhecer a um público mais alargado. Deixo, aqui, o resumo da minha conferência.

🎖Discoveries Awards da Via Verde  (Óbidos, Portugal)

Fomos um dos três blogues finalistas da 2.ª edição do Discoveries Awards (2019), na categoria de Escrita de Viagens. Infelizmente, não ganhamos. Foi a primeira vez que saímos da nossa área de conforto, a fotografia, e apostámos na Escrita. No entanto, vamos continuar a inspirar as pessoas a ter Mundo, a dar a conhecer o nosso Portugal e a incutir o gosto pela História. Sabe sempre bem ver reconhecido a nossa paixão pela escrita e fotografia de Viagens, em especial, pela Via Verde. Parabéns aos nosso amigos Alexandre Anabela Narciso (do Blogue @vagamundos_pt). No final, quem ganhasse, pagava uma Ginginha de Óbidos. E assim foi! 🔝 (Re) leia aqui o nosso artigo sobre a Aldeia Histórica de Monsanto.

Como forma de celebrar o ano que chega ao fim, decidi seleccionar as 12 imagens que reflectissem os lugares que mais gostei de conhecer. Esperamos inspirar os nossos leitores a conhecerem Portugal e a viajar mais pelo Mundo em 2020. Apesar da subjectividade visual reflectir uma escolha pessoal, deixo-vos o Best of das minhas Blogger Trips 2019. Eis a seleção de 12 imagens:

🏡Aldeia do Juízo (Pinhel, Guarda)

AldeiaJuizo (1)--3O quotidiano habitual de uma aldeia beirã chamada Juízo. Reza a lenda que um Juiz habitava nestas latitudes. Aqui, a vida corre sempre vagarosa. A essência desta aldeia do concelho de Pinhel (Guarda) reside neste pequeno grande pormenor: as gentes humildes, trabalhadoras e humanas. O dia tinha começado cedo na acolhedora e quente aldeia do Juízo, no concelho de Pinhel (Guarda). Por uma hora, o enigmático mentor das Casas do Juízo, José Guerra, guia-nos pela História Local e pelos pormenores do Juízo. Se tiver perdido, o próprio irá receber-vos com a sua alegria e simpatia que caraterizam as gentes trabalhadoras e humildes da região da Beira Alta. Através do passeio matinal pelas ruas desta aldeia beirã que ficamos a conhecer o seu percurso de vida e como a paixão pelo Juízo o levou a apostar num projecto de recuperação de casas antigas para fins turísticos. O objectivo é contrariar o Êxodo Rural e apostar no Turismo de Aldeia. No final, o visitante pode deliciar-se na Taberna do Juiz com os sabores e aromas gastronómicos da região da Beira Alta. Para mais informações, pode ler aqui.

🚂 Comboio Histórico do Douro (Régua, Norte)

ComboioHistórico

Comboios há muitos. Históricos, e a vapor, são casos raros na imensidão geográfica da ferrovia europeia. Todos os anos, a CP – Comboios de Portugal – faz as delicias de milhares de entusiastas dos caminhos de ferro em Portugal.  O Comboio Histórico do Douro percorre a centenária Linha do Douro, uma das mais antigas linhas ferroviárias de Portugal,  entre a Estação da Régua e do Tua, com paragem na aldeia do Pinhão. Realizar esta viagem, a meu ver, é recordar a importância dos caminhos-de-ferro durante a REvolução industrial Inglesa. Antes de haver veículos motorizados,  a única ligação com o progresso do mundo civilizado e com a política da burguesa e humana da cidade do Porto, era feita por estes “monstros mecânicos” .Eis uma forma diferente de conhecer o coração do Vinho generoso do Porto: a região do Alto Douro Vinhateiro. Se gosta de Turismo Ferroviário pode fazer o Comboio Histórico do Vouga (Aveiro) e visitar as instalações do Museu Ferroviário (Entroncamento). Para mais informações, poderá ler aqui.

💣Recriação Histórica do XV Cerco de Almeida (Guarda)

XVCercoAlmeidaAlma até Almeida! Na imagem, a recriação do “Assalto à Fortaleza” que decorreu nas Portas de São Francisco. De um lado, os Franceses. Do outro, os Ingleses, Portugueses e os Espanhóis. No XV Cerco de Almeida (2019), organizado pela Câmara Municipal de Almeida pelo Grupo de Reconstituição Histórica do Municipio de Almeida (GRHMA), com a  participação de centenas de recreadores de Espanha, França, Inglaterra e Portugal, podemos ver um Acampamento Histórico-Militar,  o mercado oitocentista, recriações de batalhas diurnas e nocturnas, desfiles militares e concertos e bailes oitocentistas, entre outras coisas.  A 28 de Agosto de 1810, as tropas do VI Corpo do Grand Armée, comandado pelo Marechal Ney, entram triunfalmente em Almeida, após a explosão do paiol do Castelo de Almeida. Estava, assim, conquistada a mais importante praça-forte entre os rios Douro e Tejo. Massena mostrara ao descendente de César e Alexandre, Napoleão Bonaparte que, em tantos anos, era possível a conquista de Portugal à frente de um temível e numeroso exército. Felizmente, tal não aconteceu. E porquê ? Os ingleses, aliados de longa tradição de Portugal, equiparam e comandaram o exército português que combateu valorosamente nas Guerras Peninsulares. E não esquecer as Linhas de Torres Vedras, bem como os heróis anónimos da Guerrilha Popular que foi quebrando o ânimo do inimigo jacobino…que submetera e saqueou o nosso país a ferro e fogo! O Regimento de Infantaria N.°23, liderado por Pedro Casimiro, do Grupo de Recriação Histórica do Município de Almeida (GRHMA) é um dos muitos rostos anónimos que dão cor,forma, ritmo e autenticidade às recriações Históricas da Guerra Peninsular (1807-1814) em Portugal. Afinal, foi em Almeida que tudo começou. Para mais informações, poderá ler aqui.

✈️ Sevilha (Andaluzia, Espanha)

Sevilha-3 copySevilha é uma autêntica cidade cinematográfica. Os filmes Lawrence of Arabia (1962), a saga Star Wars (2002), Reino dos Céus (2005) e, mas recentemente,a série Game of Thrones (2015) foram imortalizados pela indústria cinematográfica de Hollywood.Com o rio Guadalquivir aos seus pés, a capital da Andaluzia preserva um importante legado patrimonial-cultural do Reino de Espanha. Sabia que Carlos V de Habsburgo e Isabel de Portugal, filha de D. Manuel I, casaram-se nestas latitudes? E que a descoberta do Novo Mundo fomentou o crescimento da cidade, em virtude do seu porto ser servido pelo rio Guadalquivir? Afinal, esta cidade andaluza não é apenas o berço do Flamenco. O seu património histórico-cultural revela-nos a importância e a sua beleza secular. Edifícios como a Torre del Oro, o Archivo General de las Indias, a Catedral e a Giralda de Sevilha, o Palácio real de Sevilha, a Plaza de Espanã  e, mais recentemente, o Metropol Parasol são visitas obrigatórias. Todavia, o Archivo Geral das Índias, construído na 2.ª metade do séc. XVI, impressionou-me pela sua dimensão. Afinal, uma boa parte da documentação histórica – “burocrática” – do Império Espanhol encontra-se aqui. O Real Alcázar de Sevilha é um dos mais antigos complexos palacianos do continente europeu. Construído no séc. VIII, sob alicerces romanos, pelos descendentes do profeta Maomé e, posteriormente, aumentado pelos reis cristãos de Castela. Foi declarado Património Mundial da UNESCO em 1987. Nas 5.ª e 6.ª temporadas de GOT, é o cenário da exótica e exuberante Casa Martell. Os salões, os pátios e os jardins dão cor e forma à residência palaciana dos governantes do reino de Dorne: a cidade de Sunspear. O Patio de las Doncellas, a Sala de los Embajadores, Baños de Maria Padilla e os jardins são locais cinematográficos que nos transportam para a época do al-Andalus e para a beleza arquitectónica  da Civilização Islâmica na Península Ibérica. Um exemplo da mescla cultural entre muçulmanos e cristãos que deu origem a um estilo artístico: a arte mudéjar.

💣Fam Trip pela Rota Histórica das Linhas de Torres  (Sobral, Oeste)

Linhas TVD - Sobral copy

“Atreva-se e Mude o seu destino, onde mudámos o de Napoleão!” é mote da Rota Histórica das Linhas de Torres para visitar e relembrar o mais barato sistema defensivo da História. Sabia que as Linhas de Torres Vedras foram declaradas Monumento Nacional em 2019? Para nós, as Linhas de TVD já o eram há imenso tempo! Estas Linhas Defensivas, construídas no contexto da III Invasão Francesa (1810-11), são demonstrativas da capacidade técnica da engenharia militar luso-britânica e da resiliência do povo português, em relação às fracas elites que dirigiam Portugal, desde o Brasil.  As caminhadas e o BTT são  um excelente mote para (re) descobrir uma rota histórica, aliando o prazer da actividade física à curiosidade histórica, bem como a contemplação da paisagem envolvente.  Quando estamos saturados da atividade quotidiana alfacinha, rumamos à região do Oeste para admirar e viajar pelos acontecimentos que fazem parte da História de Portugal: as linhas defensivas de Torres. Por exemplo, o Forte do Alqueidão é um dos melhores pontos paisagísticos para admirar o complexo sistema defensivo erguido a norte da península de Lisboa. Uma História de Fortes. E de vistas Fortes! Recentemente, em Outubro de 2019, foi lançada a Revista Invade da RHLT. Para saber mais informações, poderá ler aqui.

📲 Passeios da Instameet Lisboa (Barreiro, Portugal)

Instameet (Barreiro)O que é um Instameet? É um encontro de instagramers, de norte a sul do país, que pretendem dar a conhecer locais de uma cidade. A mentora Catarina Leornado organiza, desde Outubro 2019, com realização mensal, encontros entre instagramers para promover locais dos arredores da cidade Lisboa. Foi o caso do concelho do Barreiro, onde exploramos três rotas turísticas: a industrial (CUF), a de Arte Urbana (Vhils) e a Rota dos Moinhos de Vento e de Maré. Das três, o nosso destaque vai para os passadiços [de madeira] não existem apenas no Rio Paiva. No concelho do Barreiro existe um passadiço ribeirinho que percorre um “oásis” natural e arquitectónico, entre os antigos Moinhos da Maré e de Vento. É o caso do Moinho de Vento Nascente, um dos três moinhos eólicos da praia fluvial da Alburrica, edificados na segunda metade do século XIX. Hoje em dia, são o postal ilustrado da cidade do Barreiro. Há descoberta de uma das Rotas Turísticas do Barreiro: a Arte Urbana. Na imagem, um dos icónicos fotógrafos barreirenses: Augusto Cabrita. Para mais informações, poderá ler aqui.

🍷Open Day da Quinta do Gradil 2019 (Cadaval, Oeste)

QuintadoGradil (1)-1 copy

Quer passar um dia rodeado de História e de vinho? Ou um local tranquilo e ideal para escapar à rotina citadina? A uma hora de Lisboa, no coração da região Oeste de Portugal,a encontrámos uma antiga quinta rural que pertenceu ao Marquês de Pombal (1760). É a Quinta do Gradil. A arquitectura barroca e a cor amarela desta antiga residência nobre destacam-se, ao longo da EN115. na paisagem vitivinícola e rural.  A produção de vinho, segundo fontes documentais, remonta ao ano de 1854. A Quinta do Gradil conta com 120 hectares de vinha, tornando-a uma das maiores produtoras vitivinícolas da região de Lisboa. Com um clima fresco e temperado, a escassos 20 Km do Atlântico e a menos de 5 Km da bucólica Serra de Montejunto, é um bom mote para partir à descoberta dos seus Vinhos Brancos e Tintos. Tem como embaixadores os vinhos “Quinta do Gradil”, “Mula Velha” e “Castelo do Sulco”. Com uma forte tradição vitivinícola secular, a Quinta do Gradil é um dos ex-libris da região Oeste, só superada pela majestosa e deslumbrante beleza da Serra de Montejunto. Por trás de um grande produtor, há sempre uma grande vinho. Afinal, estamos numa das mais antigas propriedades agrícolas e dos principais marcos histórico-culturais do concelho do Cadaval. É uma Quinta com [uma magnifica] História! Brindemos a isso!

📍Núcleo Museológico da Artilharia de Costa da Madeira (Funchal)

BatariaAntiaéreaFunchal

Aproveitando as nossas férias natalícias na Ilha da Madeira, fomos para conhecer uma Bataria de Costa que irá integrar a futura Rota de Turismo Militar da Ilha da Madeira, promovida pela Zona Militar da Madeira (ZMM). O Núcleo Museológico da Bataria de Costa (Pico da Cruz),  integrada na unidade militar do exército português, o Regimento de Guarnição N.º3 (RG3), é um excelente exemplo da preservação e divulgação de uma antiga unidade militar de defesa costeira, ao contrário do que sucede em Portugal Continental. A sua construção, iniciada e finalizada em 1940, foi o resultado da débil insegurança marítima e a problemática falta de recursos materiais e estruturas de defesa costeira do Arquipélago da Madeira, mais concretamente, da cidade do Funchal. Face às lições apreendidas com os bombardeamentos  dos submarinos alemães U38 (1916) e (1917)- os icónicos e temidos U-boat da marinha imperial alemã – à cidade do Funchal, no contexto da I Guerra Mundial (1914-1918), as autoridades militares nacionais decidem a construção de uma Bataria de Costa no Pico da Cruz. Estas três “sentinelas de aço”, com material de origem alemã – peças Krupp 15 cm de Tiro Rápido –  zelaram pela segurança da população Funchalense durante a II Guerra Mundial. Afinal, o inimigo vinha do oceano! Além da visita ao Núcleo Museológico da Bataria de Costa, no futuro os turistas e visitantes locais poderão visitar a antiga Bataria Antiáerea do Pico do Bucho, artilhada com 4 peças Vickers 9,4 cm, e o Museu Militar da Madeira (Palácio de São Lourenço). Para mais informações, poderá ler aqui. fez emergir a problemática da defesa da ilha e as consequências económicas e sociais da insegurança daí resultantes.

Moinho da Maré de Corroios  (Seixal, Portugal)

MoinhodaMaré (Seixal)Visitar o Moinho da Maré de Corroios foi , para mim, vivenciar outras épocas. Épocas em que era utilizada a energia das marés pelo Homem para actividades de moagem (cereais). Edificado, no alvor do séc. XV, por iniciativa de Nuno Álvares Pereira, foi o primeiro dos 60 moinhos de moageiros que existiram ao longo do estuário do rio Tejo. Mais tarde, em 1404, foi doado ao frades carmelitas do Convento do Carmo de Lisboa, no âmbito do testamento do Santo Condestável. O zénite dos Moinhos da Maré foi séc. XVI. Os Descobrimentos exigiam enormes quantidades de trigo para alimentar as frotas que partiam para “dar novos Mundos ao Mundo”. O famoso “biscoito” era cozido duas vezes para aguentar a dureza dos mares. Quem disse que a História é uma seca? É tudo uma questão de descoberta e paixão pela constante curiosidade pelo Mundo que nos rodeia. Trata-se de uma actividade gratuita, mas com inscrição obrigatória, promovida pelo Posto de Turismo do Seixal para o público que queira conhecer um pouco da História do concelho da margem sul do Tejo. Para mais informações, leia aqui.

🎞Museu de Fotografia da Madeira – Atelier Vicente’s (Funchal)

Museu Vicentes copyEm pleno centro da cidade do Funchal, na Rua da Carreira, existem um emblemático edifício que alberga, desde 1865,  um dos estúdios fotográficos mais antigos do Mundo: o Atelier Vicente`s. Em Portugal apenas subsistem dois do séc.XIX: o já referido Atelier Vicente`s (Funchal) e a Casa-Estúdio Carlos Relvas (Golegã). Aberto, em 1982, o antigo Museu Vicentes, esteve fechado ao público, entre 2014 e 2019. Recentemente, em Julho de 2019, o antigo Museu Vicentes reabriu, com pompa e circunstância, para delicia dos amantes da história e arte fotográfica. Além de manter o estúdio fotográfico original do fotógrafo insular Vicente Gomes da Silva , a Exposição permanente conta com uma vasta e deliciosa coleção fotográfica de inúmeros fotógrafos, profissionais e amadores, madeirenses: João Francisco Camacho, Vicente Photographos e Perestrellos Photographos. É de salutar e louvar a recuperação deste património secular para a sociedade madeirense e para as comunidades de outras latitudes que visitam a Ilha da Madeira. O Museu de Fotografia da Madeira – Atelier Vicente`sé tutelado pela Direção Regional da Cultura e as coleções fotográficas estão depositadas e inventariadas pelo Arquivo Regional e Biblioteca Pública da Madeira (ABM). Contém uma extensa coleção de máquinas fotográficas, processos fotográficos, equipamentos ópticos, mobiliário de época, cenários e adereços, entre outras curiosidades, desde o séc. XIX e XX, materializando os anos de atividade da família de fotógrafos insulares: os Vicentes. Visitá-lo é reavivar a memória insular e a História da Fotografia no continente Europeu, imaginando como seria o quotidiano  e a vivência de um fotógrafo do séc. XIX.  Entre 1852 e 1978, as quatro gerações da familia Vicentes documentaram acontecimentos históricos da Ilha da Madeira e retrataram os habitantes, ilustres e menos ilustres, da sociedade madeirense, monarcas portugueses e europeus, presidentes ou aventureiros que passavam  por estas latitudes. Para mais informações, poderá ler aqui.

🏡Aldeia Histórica de Portugal – Piodão (Arganil, Coimbra)

Piodão (Arganil)E agora Piodão, a própria Aldeia! Percorra, demoradamente, as ruelas desta aldeia Histórica bem portuguesa e solte a curiosidade de fotógrafo-viajante que há em si! Deixe-se surpreender pelos pormenores das casas de xisto, das janelas azuis e pelas gentes locais. E se gosta de fazer Turismo de Aldeia, pode pernoitar na Casa da Padaria e ficar a conhecer as estórias de uma antiga professora primária que apaixonou-se por um antigo padeiro local. Surpreenda-se pela natureza exuberante e a orografia envolvente desta aldeia  de xisto, encaixada num vale da Serra do Açor. Para mais informações, pode ler aqui.

📌 Passeio pelo rio Tejo com a Tritejo (Tancos, Portugal)

Tritejo copyE se fosse visitar o Castelo de Almourol nas próximas férias? Já conhece um dos maiores bilhetes-postais ilustrados do nosso país? Em Maio, a convite da empresa de animação Turística Tritejo, fomos conhecer o concelho de Vila Nova da Barquinha.  Tivemos a oportunidade de (re) visitar um dos locais que faz parte da nossa história e identidade colectiva: o castelo de Almourol! Aqui, há História Que bela silhueta de pedra! Todos somos recolectores de alguma coisa, no meu caso, dos pequenos instantes do passado! Ah, se houvesse maneira de fixar na alma imagens destas! Deve dar “gozo” ver com frequência esta obra bélica. Apreciá-lo com mais tempo e contemplar a sua fascinante cintura de muralhas. Para mim, este Guerreiro de pedra medieval é a comunhão perfeita entre a Natureza e o Homem. Já conhece o “guerreiro de pedra” Templário?  Sabia que a única forma de chegar, é de barco? A @tritejo.insta é uma boa opção para fazer um passeio pelas serenas águas do rio Tejo e contemplar a paisagem envolvente deste exemplar da arquitetura militar templária. A Tritejo organiza passeios de barco, com recurso a energia solar, entre o cais de Tancos e o Castelo de Almourol. Para mais informações, poderá ler aqui.

✔️Quais os vossos destinos  [de viagem] para 2020?

Não temos destinos escolhidos para o próximo ano, visto que podem surgir outras prioridades. Mas, existe uma lista de destinos exóticos e fora dos roteiros tradicionais de turismo que gostaríamos de ir na próxima década: São Tomé e Príncipe (África), Teerão (Irão), Fez (Marrocos), Goa (Índia), Svaneti (Geórgia), Dubrovnik (Croácia) Londres (Inglaterra), Viena (Áustria), Cracóvia (Polónia) e Toscânia (Itália). Espero concretizar algumas destas viagens. Em Portugal, irei continuar a dar prioridade ao Turismo Militar e a dedicar-me à publicação de artigos sobre a região do Oeste e da Ilha da Madeira. Estou certo que irão surgir novos projectos aliciantes, outros destinos vão ganhar prioridade. Estou certo que irei fazer a melhor escolha para mim e que agradem aos leitores do nosso blogue. Acima de tudo, deixo um conselho: façam poucas viagens, mas que sejam intensas e generosas em experiências. Viagem, mas devagar. Observem bem, com atenção, os pormenores e o ambiente que vos rodeia. E olhem o outro!

Desejo a todos os leitores as maiores felicidades a nível pessoal e profissional. Há sempre uma forma diferente e irreverente de ver Portugal e o Mundo que nos rodeia. Votos de um excelente 2⃣0⃣2⃣0⃣ com realizações pessoais e profissionais, bem como muitas viagens por Portugal e pelo Mundo! Afinal de contas, o importante é ter MUNDO!

Rafael Carvalho de Oliveira

Começa o ano a viajar com o Blogue OLIRAF 🌍 Se não tiver ideias para uma evasão, férias ou escapadinhas de fim-de-semana, o leitor pode sempre procurar um especialista. Na dúvida, escolha o blogue OLIRAF! Temos um país imenso, com lugares imensos para desbravar. Um pouco por todo o país existem lugares e regiões que merecem uma visita mais atenta. Pelo país fora, e pelo estrangeiro, há muito património histórico-cultural para visitar ao longo da nova década. Meta-se à estrada e siga as nossas sugestões fotográficas que inspiram a alma de viajante adormecida que há em cada um de nós!

📝Nota Informativa:

O Blogue OLIRAF agradece os convites que chegaram por parte de parceiros, empresas de animação turística e entidades de turismo para conhecer as suas experiências e o património histórico-cultural a eles associado, de acordo com os nossos critérios editoriais. Foi um gosto colaborar e dar a conhecer um pouco da vossa paixão e divulgação do melhor que se faz em Portugal, ao nível da promoção do turismo de experiências.

NÃO PERCA AS MINHAS AVENTURAS E OLHARES FOTOGRÁFICOS NO INSTAGRAM! UM ENCONTRO COM A HISTÓRIA, AO SABOR DAS IMAGENS…

Nota importante [👤]

As presentes informações não têm natureza vinculativa, funcionam apenas como indicações, dicas e conselhos, e são susceptíveis de alteração a qualquer momento. O Blogue OLIRAF não poderá ser responsabilizado pelos danos ou prejuízos em pessoas e/ou bens daí advenientes. As recomendações de produtos turísticos baseiam-se nas experiências [reais] de viagem e o conteúdo editorial é independente de terceiros.  Se quiser partilhar ou divulgar as minhas fotografias, poderá fazê-lo desde que mencione os direitos morais e de autor das mesmas.

linhagraficaALL-oliraf-03

💻 Texto: Rafael Oliveira 📷 Fotografia: Oliraf Fotografia 🌎

Follow me: @oliraffotografia on Instagram | Oliraf Fotografia on Facebook

FOTOGRAFIA✈︎VIAGENS✈︎PORTUGAL © OLIRAF (2019)

📩 CONTACT: OLIRAF89@GMAIL.COM

👨🏻‍🏫Porque sou um apaixonado por Turismo Militar: a minha conferência [como blogger] na Associação Portuguesa dos Amigos dos Castelos.

📷 A convite da Associação Portuguesa dos Amigos dos Castelos (APAC) realizei, no passado dia 2 de Dezembro, uma comunicação “O Turismo Militar como forma de preservação e salvaguarda do património histórico-militar: o caso do blogue OLIRAF” no âmbito do Ciclo de Conferências subordinado à temática: Novos Meios de Divulgação Patrimonial. Os Blogs, que decorreram no secretariado da APAC, respectivamente, entre 7 e 21 de Outubro, 4 e 18 de Novembro e 2 de Dezembro de 2019. Agradecemos a oportunidade por falar sobre o nosso projecto de escrita e fotografia de viagens e dar a conhecer a um público mais alargado.

📝Em 2007, a Associação Portuguesa dos Amigos dos Castelos (APAC) iniciou um conjunto de Ciclos de Conferências Trimestrais, relativos a temas vários de interesse histórico e cultural. Dando continuidade à iniciativa, o secretariado da APAC voltou a acolher um grupo de conferencistas, entre os quais o autor do blogue Ruinarte para falar sobre a sua perspectiva e experiência na utilização dos Blogues como plataformas online para divulgação e salvaguarda do património em Portugal. Este Ciclo de Conferências teve lugar no Secretariado dos Amigos dos Castelos, localizado na Rua Barros Queirós, n.º 20 em Lisboa. Para público não especializado e com entrada livre. Eram sessões individuais, sempre às Segundas-feiras pelas 18h. As comunicações tinham a duração, de aproximadamente, uma hora, seguida de cerca de 20 minutos dedicados a perguntas, oriundas da plateia.

20191201233701_IMG_9939
Associação Portuguesa dos Amigos dos Castelos © Créditos fotográficos: Carina Palma

Os blogues não morreram. Ainda hoje, estes são fontes de inspiração e de informação, bem como contribuem para a divulgação e consciencialização da importância da preservação e divulgação do património histórico-militar [em ruínas] existente um pouco pelo nosso país, junto de um público mais abrangente. Na sequência do trabalho que temos vindo a desenvolver no blogue OLIRAF, a APAC considerou que seria interessante falar sobre a temática  do Turismo Militar, em especial, a que foca o edificado militar. Assim, aceitamos o convite para expor um pouco o nosso projeto e falar sobre o património militar com relevância histórica e patrimonial. O tema era livre. Como tal, a minha escolha recaiu sobre o Turismo Militar no Blogue OLIRAF. Afinal, a génese do nosso projeto de escrita e fotografia de viagens começou com a vontade de inventariar visualmente, através da arte fotográfica, o património histórico-militar edificado, em especial, os Castelos de Portugal Continental.

20191201234831_IMG_9948
Associação Portuguesa dos Amigos dos Castelos © Créditos fotográficos: Carina Palma

Ao longo da minha conferência, para além de apresentar o projecto pessoal que deu origem ao blogue de fotografia e escrita de viagens, vulgarmente conhecido como OLIRAF, descrevi também os principais tipos turismo militar existentes no blogue: as recriações históricas oitocentistas, o dia das bases abertas das forças armadas portuguesas, arquitectura militar em ruínas, património histórico-militar de origem portuguesa no Mundo, museus militares portugueses, passeios com empresas de animação turística e roteiros fotográficos pelos castelos e fortalezas de Portugal Continental. Também abordamos, no âmbito de viagens e Fam Trips efectuadas em Portugal, Espanha e Marrocos, locais onde estava estava subjacente a história e cultura militar de Portugal ou do país visitado. Da palestra “O Turismo Militar como forma de preservação e salvaguarda do património histórico-militar: o caso do blogue OLIRAF” realçou-se, ainda, o apoio de diversos parceiros e entidades, tais como, a Mystical Trip,  o Grupo de Amigos da Artilharia de Costa Portuguesa, a Rota Histórica das Linhas de Torres e o Grupo de Recriação Histórica do Município de Almeida.

20191201233936_IMG_9940
Associação Portuguesa dos Amigos dos Castelos © Créditos fotográficos: Carina Palma

Salientamos que o Turismo [Histórico-] Militar não é exclusivamente feito para Militares. É para todos! E Porquê? O Turismo Militar é uma forma de dar conhecer os locais, acontecimentos e o património edificado, de cariz bélico, da História Colectiva de um território, incorporando diversas formas de cultura, história ou arquitectura. O Turismo Militar é uma outra forma de falar da História, através do Turismo Histórico-Cultural. É um mercado e um produto turístico diferenciador e com inúmeras valências e potencialidades com impacto no território e nas suas populações.

20191201230937_IMG_9920
Associação Portuguesa dos Amigos dos Castelos © Créditos fotográficos: Carina Palma

O nosso sincero agradecimento à Associação Portuguesa dos Amigos dos Castelos pelo simpático convite para sermos um dos oradores deste Ciclo de Conferências e a  oportunidade dar a conhecer o nosso projeto de fotografia e escrita de viagens ao público. O interesse do tema abordado, motivou o debate e a troca de impressões, entre o orador e a plateia, ficou bem patente a importância deste tipo de acções na manutenção de uma memória de um povo viva, designadamente no que concerne aos episódios que constituem a sua história colectiva e  cultura militar do nosso país. É o reconhecimento do nosso trabalho [de anos] à descoberta da enorme riqueza histórico-militar que temos dentro do nosso país. Ficamos contentes pelo feedback da plateia e foi um desafio motivador falar sobre o nosso hobbie, que fazemos com gosto e paixão, numa associação que promove a salvaguarda dos “Bellatores de pedra” em Portugal.

Deixo, aqui, o resumo da minha conferência.

—————————————————————————————————————-

Rafael Carvalho de Oliveira é mestre em Ciências de Informação e Documentação (variante Arquivística), com a tese O Fundo Monsenhor Francisco Esteves de Jesus (1871-1959): descrição arquivística a colecção de álbuns fotográficos da Paróquia de São Vicente de Fora, publicada em 2016. Licenciado em História pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa (FCSH-UNL) e pós-graduado em Ensino da História no 3.ºCiclo do Ensino Básico e no Ensino Secundário pela mesma instituição. É especialista em tratamento documental de Arquivos Fotográficos, onde trabalhou em diversas instituições e empresas, tais como, o Arquivo Histórico da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, no Patriarcado de Lisboa, na Fundação Portuguesa das Comunicações, na Reisswolf e na Sociedade Portuguesa de Empreendimentos (ex-Diamang). Desenvolve actividades como técnico de documentação fotográfica, onde integra a equipe de investigação que realiza o estudo e tratamento arquivístico do Espólio de José Marques (1924-2012), no âmbito do Projeto Rossio (TNDM II). Nos tempos livres, dedica-se às suas três paixões: a Fotografia, a História e as Viagens. Em 2011, criou o Blogue OLIRAF, um projeto de escrita e fotografia de viagens. Foi finalista dos Discoveries Awards 2019, na categoria de escrita, e nomeado na categoria de Fotografia nos BTL Blogger Awards (2016 e 2017).

—————————————————————————————————————-

🔗Para mais informações:

A Associação Portuguesa dos Amigos dos Castelos é uma Organização sem fins lucrativos, que tem como objetivo contribuir para a conservação, proteção, divulgação e salvaguarda do património fortificado português, juntamente com as suas envolventes e sítios históricos. Neste contexto programamos visitas culturais a nível nacional e internacional. Desde 1984 que a Associação celebra o Dia Nacional dos Castelos. Em 2003, esta data foi oficialmente fixada no dia 07 de Outubro, comemorando-se em vários pontos do país.

Além do Turismo Militar no Blogue OLIRAF, recomendo a consulta dos seguintes sítios digitais:

Associação de Turismo Militar Português

Turismo Militar (Marca)

Blogue Operacional

Mystical Trip (Empresa de Animação Turística) 

NÃO PERCA AS MINHAS AVENTURAS E OLHARES FOTOGRÁFICOS NO INSTAGRAM! UM ENCONTRO COM A HISTÓRIA, AO SABOR DAS IMAGENS…

Nota importante [👤]

As presentes informações não têm natureza vinculativa, funcionam apenas como indicações, dicas e conselhos, e são susceptíveis de alteração a qualquer momento. O Blogue OLIRAF não poderá ser responsabilizado pelos danos ou prejuízos em pessoas e/ou bens daí advenientes. As recomendações de produtos turísticos baseiam-se nas experiências [reais] de viagem e o conteúdo editorial é independente de terceiros.  Se quiser partilhar ou divulgar as minhas fotografias, poderá fazê-lo desde que mencione os direitos morais e de autor das mesmas.

linhagraficaALL-oliraf-03💻  Texto: Rafael Oliveira  📷 Fotografia: Oliraf Fotografia 🌎

Follow me: @oliraffotografia on Instagram | Oliraf Fotografia on Facebook

 FOTOGRAFIA✈︎VIAGENS✈︎PORTUGAL©OLIRAF (2019)

📩 CONTACT: OLIRAF89@GMAIL.COM